Você sabia que a cada 45 segundos acontece um acidente de trabalho no Brasil? Por isso, investir na ergonomia no trabalho pode fazer toda a diferença para mudar esse cenário e garantir a qualidade das tarefas desempenhadas pelos funcionários.

Contudo, a ergonomia não serve apenas para evitar essas ocorrências. Ela também é fundamental para identificar se o colaborador corre riscos de doenças ocupacionais de modo a criar processos que previnam essas ameaças.

A implantação de programas de saúde ocupacional proporciona diversos benefícios, tanto para o funcionário quanto para a organização. Neste artigo, vamos falar sobre a ergonomia e quais aspectos a empresa deve observar. Acompanhe conosco!

O que é e qual a importância da ergonomia no trabalho?

A palavra ergonomia vem do latim, que significa “lei ou normas no trabalho”. O objetivo dela é promover um ambiente em que o trabalhador execute suas tarefas sem estar acometido por doenças ocupacionais e acidentes de trabalho. Assim, ela garante boas condições, de modo que o colaborador execute suas atividades com eficiência.

Para isso acontecer, na prática, foi estabelecida a Norma Regulamentadora 17 (NR-17), que determina um conjunto de parâmetros para proporcionar requisitos apropriados no ambiente de trabalho. Dessa forma, os critérios utilizados pela norma aborda regras para essas condições nos seguintes temas:

  • atividades destinadas ao carregamento de materiais;
  • mobiliários;
  • condições ambientais;
  • organização;
  • normas para operadores de checkout e teleatendimento.

Quais são os benefícios da ergonomia para a empresa?

Implantar a NR-17 melhora a qualidade de vida do trabalhador, porque cria um ambiente favorável para a execução do trabalho. Sendo assim, essas práticas também proporcionam diversos benefícios para as empresas, como veremos a seguir.

Redução de multas

A ergonomia é uma prática obrigatória para todo tipo de empresa, independente do porte. Assim, ela precisa cumprir as regras estabelecidas pela NR-17. Por exemplo, em 2015, em uma única audiência o MTE-MG chegou a autuar mais de R$ 300 milhões em multas relacionadas ao não cumprimento da norma.

Diminuição do absenteísmo

Os problemas de saúde são os maiores causadores de ausências como atrasos, saídas antecipadas e faltas, ainda que justificadas. Por esse motivo, ao investir na ergonomia, a empresa diminui os índices de absenteísmo, uma vez que os colaboradores deixam de se ausentar com frequência. Dessa forma, também colabora na redução de custos com mão de obra improdutiva e melhora a valorização do profissional.

Aumento da produtividade

Na prática, a ergonomia aplica medidas que previnem doenças ocupacionais e melhoram o condicionamento físico. Por consequência, essas ações melhoram o desempenho do trabalhador, porque reduzem a fadiga, aumentando a disposição para a realização das tarefas.

Aliás, a NR-17 é obrigatória porque as doenças e acidentes do trabalho mais frequentes surgem provenientes de riscos como:

  • exercícios repetitivos;
  • postura inadequada;
  • ritmo intenso devido a prazos curtos;
  • controle excessivo, gerando estresse;
  • iluminação imprópria;
  • máquinas e equipamentos sem proteção;
  • uso de ferramentas inadequadas.

 

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.

 

Como implementar as normas da NR-17?

Agora que você já sabe a importância da ergonomia para garantir resultados eficazes na empresa, acompanhe conosco os 5 passos para implantar a NR-17.

1. Mapeamento do cenário

A legislação exige que seja feita a Análise Ergonômica do Trabalho (AET) para avaliar cada atividade e entender as condições de saúde de acordo com as características psicofisiológicas dos funcionários. Assim, é possível fazer um diagnóstico atual para identificar pontos críticos no processo de trabalho e elaborar planos de ação corretivos e preventivos.

2. Definição do comitê responsável

O comitê responsável precisa ser formado por funcionários que tenham conhecimento em áreas como RH, SESMT (Serviço Especializado de Saúde e Medicina do Trabalho) e CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes). Eles devem garantir o cumprimento da legislação e realizar medidas de prevenção de doenças ocupacionais e acidentes de trabalho.

3. Aplicação de treinamento

O treinamento é fundamental para capacitar o comitê responsável sobre a NR-17 e o funcionamento de cada etapa durante a implantação. Dessa forma, eles estarão preparados para lidar com os problemas quando surgirem. Afinal, eles serão os embaixadores do assunto dentro da organização.

Como você pôde perceber, a ergonomia no trabalho permite que o colaborador tenha mais qualidade de vida, aumentando o desempenho das tarefas e melhorando a imagem da empresa. Entretanto, sabemos que controlar esse processo não é tão simples. Por esse motivo, ao investir em soluções inteligentes você consegue acompanhar melhor os indicadores e fazer controle das ações implantadas, garantindo agilidade nas tarefas e tomadas de decisão confiáveis.

Percebe como a ergonomia impacta diretamente na performance dos colaboradores? Então, compartilhe esse conteúdo nas suas redes sociais para alertar outras pessoas também!

sst no esocial